1º Exercicio

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA
Faculdade de Arquitectura e Urbanismo

Ano lectivo 2015 3º Ano | Turma ( M, T, N ) PROJETO I
1º Exercicio

Projecto de Equipamento
Baixe aqui o Material de apoio.

Clinica de Saúde / Unidade de Urgência

 

Introdução

 

Ao projetarmos uma Unidade de Urgência e Emergência cabe ao arquiteto tomar, o que poderíamos chamar de “primeiros cuidados projetuais” para o aprimoramento do desenho

destas complexas áreas funcionais, que têm como principais objetivos atender as urgências

e emergências e todas as intercorrências que delas decorrem.

 

1 – Os Níveis de Complexidade do Atendimento

 

As Unidades de Urgência prestam atendimento imediato em casos que, em princípio, não

ofereçam risco de vida, exigindo instalações e equipamentos mais simples, próprios de uma

retaguarda de baixa e média complexidade.

As Unidades de Urgência / Emergência, por sua vez, são locais onde são praticados além

dos procedimentos de menor complexidade, característicos das situações de urgência,

procedimentos de maior complexidade, que podem oferecer risco de vida.

Estas unidades, diferentemente das Urgências devem operar com um nível elevado de

resolutividade, demandando uma retaguarda dotada de recursos de apoio ao diagnóstico

(imagiologia, traçados gráficos, laboratório de análises clínicas etc.), tratamento (centro

cirúrgico, centro obstétrico e UTIs), observação e internação compatíveis com a

complexidade dos procedimentos nelas praticados.

Para que uma unidade de emergência tenha um alto nível de desempenho é desejável que

a equipe de saúde que irá opera-la participe diretamente da definição de seu programa

funcional, cabendo ao arquiteto o papel de assessora-la nesta tarefa e de transforma-lo em

um programa arquitetónico, no qual os ambientes que compõem a unidade deverão ser

dimensionados para atender o perfil operacional definido.

Desta forma cabe ao arquiteto, garantir esta flexibilidade através de soluções arquitetónicas tais como a adoção de pavimentos técnicos, paredes removíveis e outros detalhes arquitetónicos que permitam alterar com facilidade e menor custo o layout e a infraestrutura da unidade.

Para que o projeto se desenvolva de forma consistente, todos os ambientes que irão compor

as unidades de urgência e emergência (assim como as demais unidades que integram o

edifício hospitalar) necessitam de uma série de cuidados projetuais, sem os quais a futura

edificação não atenderá a contento os serviços de assistência à saúde que ali serão

prestados.

Cabe finalmente observar que o conjunto apresentado não abrange todos os ambientes de

uma unidade de urgência ou de emergência, e sim aqueles que consideramos mais

importantes, tanto sob o aspecto funcional como pelo fato de estarem presentes na grande

maioria destas unidades.

 

Programa:

 

  • Acessos, Área de Desembarque de Ambulâncias e Estacionamentos ( dependendo da composição)
  • Halls de Entrada ( dependendo da composição)
  • Salas de Espera 60m2
  • Sala de Higienização 45m2
  • Sala de Triagem e de Consulta de Enfermagem 15m2 + 15m2
  • Consultórios Indiferenciados e Diferenciados 12m2
  • Sala de Gesso e Redução de Fraturas 45m2
  • Sala de Suturas e Sala de Curativos 45m2
  • Salas de Reidratação e de Inalação 45m2
  • Salas de Observação 30m2
  • Posto de Enfermagem Central 30m2
  • Sala de Procedimentos Invasivos 45m2
  • Sala de Pequenas Cirurgias 45m2
  • Salas de Emergência e de Politrauma 45m2
  • Sala de Imagiologia Tac + Raios X 30m2
  • Instalações sanitárias dependendo da composição
  • Sala de Pediatria 45m2
  • Laboratório 15m2
  • Farmácia 20m2
  • Salas de Internamento (depende do numero de camas por cada espaço)
  • copa 12m2
  • Salas de Descanso Medico 25m2
  • Dispensa 10m2
  • Arrecadaçaõ 30m2
  • Sala de direcção 15m2
  • Sala de reuniões 15m2
  • Secretariado 20m2
  • Bar 15m2
  • Estacionamento (dependente da composição)

 

Avaliação

Nos critérios de avaliação serão tidos em conta: o cumprimento do programa, o funcionamento do programa, a capacidade de desenvolvimento do projecto, o empenhamento na pesquisa e experimentação de materiais, a capacidade de leitura e análise arquitectónica, invenção e criatividade em trabalho de projecto, formulação de questões pertinentes, envolvimento e capacidade de integração no trabalho individual e de grupo, persistência na aprendizagem, aquisição e compreensão de conhecimentos e capacidade de relacionar os conhecimentos adquiridos, utilizando-os em novas situações.

 

Lista de peças a entregar :

 

I Fase: fase de análise e caracterização – 20 de Março

– Relatório – caracterização da área de intervenção (apresentação na aula, PowerPoint)

  • Espaço urbano e paisagístico envolvente _Morfologia urbana
  • Ambiente e Microclima: orientação, insolação, ventos dominantes e barreiras  existentes, pluviosidade, humidades relativas, nível de ruído, entre outras;
  • Morfologia do terreno.

II Fase: fase de desenvolvimento conceptual – 27 de Abrli

  • Esboço e maquete de estudo
  • Espaços/função e organigrama funcional

III Fase: fase de anteprojecto – 25 de Maio

  • Plantas cortes e alçados e outros

IIII Fase: Entrega final – 29 de Junho

 

As peças escritas deverão ser apresentadas em folhas A4.

As peças desenhadas deverão ser apresentadas em suportes normalizados, papel A3 – A1 devidamente dobrados em “sanfona” arquivados dentro de caixas de projectos A4, painéis A1 ao alto e maquete final.

 

 1.Memória Descritiva

Explicar o conceito do projecto, implantação no terreno, acessibilidades, organização espacial, circulações públicas e de serviço, etc.

 

  1. Organigrama

Organigrama funcional, com designação dos espaços, áreas e relações entra espaços

 

  1. Quadro de áreas

Lista de espaços e suas áreas úteis organizados por zonas e pisos. Indicação da área bruta de construção, bem como os índices urbanísticos

 

  1. Planta de localização esc.1/1000

Enquadramento do edifício na zona envolvente. Representação do edifício através de um mancha . Representação das curvas de nível

 

  1. Planta de implantação esc. 1/500

Representação do edifício e dos arranjos exteriores. Indicação das entradas pedonais e automóveis Representação das curvas de nível com cotas do terreno

 

  1. Plantas do edifício esc. 1/100

Plantas dos diferentes pisos do edifício

Indicação das cotas de terreno

Indicação das cotas de soleira e de projecto

Marcação das entradas do edifício

Designação dos espaços com áreas

Representação da estrutura do edifício

Medidas parciais e globais do edifício (plantas cotadas)

 

  1. Plantas de equipamento esc. 1/100

Plantas dos diferentes pisos do edifício

Indicação das cotas de terreno

Indicação das cotas de soleira e de projecto

Marcação das entradas do edifício

Designação dos espaços com áreas

 

  1. Cortes do edifício esc. 1/100

Representação dos cortes necessários para explicar o edifício.

No mínimo 4 cortes pelo edifício, 2 longitudinais e 2 transversais.

Indicação das cotas de terreno e cotas altimétricas do projecto

 

  1. Alçados do edifício esc. 1/100

Representação dos alçados necessários para explicar o edifício

Indicação das cotas de terreno e cotas altimétricas do projecto

 

  1. Esquissos

Deverão ser apresentados esquissos do desenvolvimento do projecto, dossiê formato A3 (obrigatório)

 

  1. Estudo volumétrico esc. 1/100

Estudo volumétrico com parte do terreno. Materiais a escolha do aluno Indicação dos volumes, vãos, diferença de materiais

 

NOTA:

Estes elementos devem constituir parte da entrega. No entanto poderão ser entregues outros elementos que o aluno achar conveniente para explicar o seu projecto!

As recomendações indicadas em cada ponto não são exaustivas devendo o aluno assegurar a boa representação e o rigor do desenho! Todas as plantas deverão ter orientação e todas as peças desenhadas com a indicação da escala

 

As datas de entrega poderão ser alteradas pelos professores, da cadeira de Projecto I, sem prejuízo de sobreposições com as entregas ou frequências de outras cadeiras curriculares. Os exercícios devem ser entregues, apenas, aos respectivos professores. _________________________________________________________________________________
Arqtº. André Salvado
Arqtº. Celestino Chitonho
Arqº. Mike Afonso
Arqº. Pedro Santos

14 de Março de 2014

Baixe aqui o Material de apoio

8.918460, 13.160740

-8.91846,13.16074

 

Comentar artigo

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s